Crise hídrica

SECA EM FRANCA É A TERCEIRA MAIOR DOS ÚLTIMOS 60 ANOS

Levantamento do Inmet avalia volume de chuvas registrado na cidade no primeiro semestre desde 1961
Por: Da Redação | Categoria: Franca e Região | 20-09-2021 21:05 |
Na próxima quinta-feira, dia 23 de setembro, inicia-se a Primavera. O Inmet deve divulgar nesta terça-feira (21), uma perspectiva climática para a estação no país
Na próxima quinta-feira, dia 23 de setembro, inicia-se a Primavera. O Inmet deve divulgar nesta terça-feira (21), uma perspectiva climática para a estação no país Foto de Reprodução

Reportagem de Nelise Luques, publicada no Jornal Verdade, mostra que a seca de 2021 é a terceira maior dos últimos 60 anos em Franca. O Jornal Verdade obteve levantamento exclusivo do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) que aponta o primeiro semestre deste ano como o terceiro menos chuvoso de toda série histórica na cidade desde 1961, quando as medições do volume pluviométrico começaram a ser feitas pelo instituto.

Entre janeiro e julho de 2021 choveu em Franca 547,8 milímetros, quantidade muito parecida com a do mesmo período de 2014, um dos anos mais secos na região. A diferença entre os dois anos é mínima, de apenas 1,4 milímetro. Foi apenas em 1963 que a cidade havia registrado seca tão intensa nos primeiros seis meses do ano. “Realmente está bastante seco e diferente de décadas atrás, hoje estamos em outro contexto, em que se consome muito mais água, para geração de energia elétrica, na agricultura, é a vida moderna”, analisa Marcelo Schneider, meteorologista do Inmet.

Segundo o especialista, um dos principais responsáveis pelo baixíssimo índice de chuvas é o esfriamento das águas do Oceano Pacífico, fenômeno conhecido como La Niña. “Geralmente esse fenômeno impacta o Sul do Brasil e o interior de São Paulo, como está sendo o caso de Franca. Com as águas do Pacífico mais frias, há menos umidade vindo para a região central do Brasil, o que dificulta a formação de chuvas”.

ÉPOCA CHUVOSA

O Inmet também realizou um estudo para verificar o volume de precipitação em Franca no período mais chuvoso do ano, entre a primavera e verão, e a análise também é desfavorável na cidade. Os meses de outubro, novembro, dezembro de 2020 até janeiro de 2021 é o quarto menos chuvoso das últimas seis décadas, com precipitação de 1000,1 milímetros.

Até então, os semestres mais secos haviam sido em 2013 (748,4 mm); 1970 (852,2 mm) e 1963 (905,5 mm).

Marcelo Schneider explicou que esses são meses estratégicos porque deveriam ser mais chuvosos e garantir o armazenamento de água para períodos de estiagem. “O complicado de se ter índices tão baixos de chuva é que no verão perde-se muita água porque a umidade é baixa e as temperaturas se elevam muito, o que acelera a evaporação, reduzindo o nível dos rios e reservatórios”.

Com a vazão de água nos mananciais e reservatórios comprometida, medidas de contenção como o racionamento implantado pela Sabesp em Franca se tornam inevitáveis.

PREVISÃO 

Na próxima quinta-feira, dia 23 de setembro, inicia-se a Primavera. O Inmet deve divulgar nesta terça-feira (21), uma perspectiva climática para a estação no país, mas antecipou que a tendência é voltar a ter influência do La Ninã com mais intensidade na região Sul do Brasil. Em Franca e outros municípios na divisa de São Paulo com Minas Gerais, deve voltar a ter mais chuva, mas somente em novembro e dezembro. A semana segue com calor extremo e temperaturas próximas dos 35º e 36º nesta terça-feira; não chove.